fbpx
19 99646-7010 19 3496-1747 | 3496-2771

Estudar tudo o que envolve o resultado no futebol

Marcel Capretz, colunista esportivo

Estou buscando entender cada vez mais o porque dos resultados no futebol. Tem uma explicação para tudo: para a vitória e para a derrota.

Já passei pelos estudos da teoria sistêmica, da teoria do caos, e todas levam ao cerne do nosso amor por essa modalidade: a imprevisibilidade. Ficamos atentos aos noventa minutos de uma partida de futebol porque não sabemos o que de fato vai acontecer.

Por outro lado, também tenho estudado muito análise de desempenho, que busca justamente, a grosso modo, entender padrões de comportamentos individuais e coletivos que sejam determinantes para o triunfo de uma equipe sobre o seu oponente. Também fui buscar conhecer a mente humana, através da PNL (Programação Neurolinguística) e do Coaching, já que o jogo é técnico, tático, físico e é também emocional. Antes do chute, por exemplo, está o jogador que chuta; um passe é uma ação que envolve dois jogadores: o que executa a ação e e o que a recebe. A relação e a comunicação entre esses dois elementos se bem trabalhadas podem potencializa-los.

Batendo tudo isso no liquidificador o suco que temos é frustrante para alguns e excitante para outros: não há fórmula para o sucesso no futebol. Não há nem certo e nem errado. Até o que é bonito e o que é feio vai ser relativo e vai depender do ponto de vista

E a situação do Campeonato Brasileiro atual apenas corrobora tudo isso. Vamos pontuar algumas situações: se o treino serve, ou deveria servir, para melhorar um time como explicar o São Paulo tendo cinco semanas cheias de trabalho piorando, enquanto Felipão no Palmeiras sem nenhuma semana sem dois jogos está evoluindo? E Jair Ventura mudando pouquíssima coisa prática na equipe do Corinthians ter eliminado o rico Flamengo, do agora demitido Maurício Barbieri da Copa do Brasil? Ou então a segurança espantosa que o Santos passou a ter após a presença do técnico Cuca no banco de reservas?

É claro que há mais pormenores nos exemplos que citei, mas o foco desse texto é mostrar que há muita coisa envolvida e que faz a diferença para uma bola entrar no gol ou bater na trave. É confiança, coragem, relações interpessoais, gestão de grupo, qualidade do treino, sistema de jogo que potencialize os atletas, comunicação flexível de função e tarefa para cada um e muitas outras coisas subjetivas. Tudo isso junto, ao mesmo tempo Quanto mais estudo futebol mais percebo que tenho que continuar estudando.

ARTIGO escrito por Marcel Capretz
Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal. São de inteira responsabilidade de seus autores.

Deixe uma resposta